EDUCAÇÃO EMOCIONAL NA ESCOLA – UMA NECESSIDADE URGENTE 






Hoje já se sabe que a inteligência pura e as competências acadêmicas não são mais suficientes para determinar o sucesso dos alunos na escola. A saúde emocional e o bem-estar das crianças são sem dúvida fatores cruciais no progresso escolar e têm influência direta na habilidade de aprender, concentrar, construir e manter relacionamentos, na vontade de frequentar a escola, entre outros. Com os níveis de ansiedade e depressão sem precedentes no mundo de hoje, criar proativamente as crianças para efetivamente lidar com esses problemas pode ser o melhor antídoto que podemos oferecer a elas, e, por isso, é hora de pais e escolas revisarem e redefinirem o propósito da educação no mundo competitivo de hoje. 

As emoções desempenham um papel crítico na forma como a informação é recebida, processada e armazenada na mente humana, pois o cérebro atribui um valor ao que foi aprendido, dependendo das emoções que foram experimentadas no momento do aprendizado. Isso significa que, se um aluno percebe que algo é agradável eles serão mais propensos reter e usar aquela informação no futuro, enquanto que se ele está entediado ou passando por problemas, aquela informação pode ser rejeitada pelo cérebro. Se o aluno não aprende desde jovem a lidar com questões emocionais, não conseguirá se adaptar a desafios futuros também. 

Programas escolares focados no desenvolvimento social e emocional podem melhorar significativamente a autopercepção dos alunos, a conexão escolar, os comportamentos sociais, gerando uma redução de comportamentos de risco e antissociais. A incorporação da educação emocional é essencial no ambiente escolar, e por isso, a necessidade da inserção de programas de capacitação da equipe pedagógica para o fim de se utilizar cada vez mais atividades que promovam o crescimento e o desenvolvimento emocional, tanto da criança como do adolescente. 

A educação positiva, uma abordagem da Psicologia Positiva que agrega a educação tradicional ao estudo do bem-estar e da felicidade humana, já mostrou ter um impacto na mudança de comportamento dos alunos e no desenvolvimento humano. Ela ensina alunos quais fatores o ajudam a prosperar, cria estudantes mais curiosos e ajuda a desenvolver o amor geral da aprendizagem. Isso por sua vez, facilita a vida dos professores, pois à medida que aumenta a motivação dos estudantes, se torna mais fácil se envolver com os alunos e persistir no trabalho que eles precisam para dominar as habilidades acadêmicas. Alunos mais equilibrados e felizes emocionalmente mantém amizades por mais tempo, cooperam mais, desenvolvem o respeito, valorizam as diferenças, aprendem a lidar com conflitos e resolver problemas sozinho, são mais independentes, recuperam-se mais rápido de frustrações, raiva e tristeza, além de ter maior persistência diante das dificuldades. 

Promover a saúde emocional e o bem-estar dos alunos e da equipe pedagógica pode trazer benefícios valiosos para as escolas, ajudando alunos e funcionários a se sentirem mais felizes e motivados, prevenindo distúrbios mentais e emocionais em alunos e o adoecimento psíquico do professor, além é claro, de contribuir positivamente para a melhora do processo de ensino-aprendizagem e do envolvimento e engajamento em sala de aula.

Sálua Omais é Psicóloga com Mestrado em
Psicologia da Saúde e Saúde Mental, 
Master Coach e Master Trainer em 
Psicologia Positiva, Neurossemântica e PNL




ACESSE MAIS CONTEÚDOS EM NOSSAS REDES SOCIAIS:

0 comentários:

Postar um comentário